Marinha organiza um dos maiores exercícios da Europa com veículos não tripulados

Setúbal, 11 set 2019 (Lusa) – A península de Troia e a costa de Sesimbra vão acolher um dos maiores exercícios de investigação marítima da Europa, com veículos não tripulados testados pela Marinha Portuguesa entre 11 e 27 de setembro.

Esta é a 10ª edição do REP (Recognized Environmental Picture), um exercício de experimentação de sistemas marítimos não tripulados.

Cerca de 850 militares e civis da Marinha Portuguesa e de 10 países vão estar presentes, sendo metade portugueses. Participam com meios humanos e militares os Estados Unidos da América, a Inglaterra, a Bélgica, a Polónia, a Itália e a Turquia.

A organização é da Marinha Portuguesa, do Laboratório de Sistemas e Tecnologia Subaquática da Universidade do Porto (FEUP) e do Centro para a Pesquisa e a Experimentação Marítima (CMRE) da NATO. A edição deste ano é realizada, pela primeira vez, no âmbito da iniciativa Maritime Unmanned Systems (MUS) da NATO.

Ao longo de duas semanas vão ser testados os avanços tecnológicos destes veículos, os procedimentos e as táticas utilizadas num campo vasto de investigação.

O objetivo é “avaliar o estado da arte na área dos sistemas de veículos não tripulados em rede, através de desempenhos de larga escala”, afirma a Marinha Portuguesa em comunicado, que realça a importância da colaboração com a academia.

Estes veículos serão testados no âmbito da Segurança e Defesa, em cenários de busca e salvamento, combate à poluição ou até tráfico de estupefacientes. No campo de investigação inclui-se o estudo da comunicação subaquática.

A utilização deste tipo de veículos não tripulados pode ajudar a reduzir custos financeiros e evitar a deslocação de militares para situações de risco, segundo o comandante Agreiro, da Marinha Portuguesa.

Este ramo das Forças Armadas vai testar os dispositivos a bordo da fragata Álvares Cabral, do navio patrulha Figueira da Foz, dos navios hidrográficos Almirante Gago Coutinho e D. Carlos I, da lancha hidrográfica Andrómeda, da lancha de fiscalização Pégaso, do submarino Tridente, de um Destacamento de Mergulhadores Sapadores vocacionados para a guerra de minas, de uma força de Fuzileiros e do Destacamento de Ações Especiais.

A primeira edição da iniciativa realizou-se em 2010 e desde então o número de empresas nacionais e internacionais envolvidas tem vindo a aumentar.

Recomendados

Recomendados

Comente, qual a sua opinião?
A carregar...

Outros conteúdos na web