Matam jovem por dívida de 250 euros e filmam crime

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O Tribunal de Setúbal acolhe esta terça-feira a segunda sessão do julgamento do homicídio de Bruno Rodrigues em novembro de 2016, por causa de uma dívida de 250 euros.

Armando Salles, um dos dois jovens acusados do homicídio, disse esta segunda-feira, na primeira sessão, que iria remeter-se ao silêncio, mas Nuno Calçada, o outro arguido, admitiu que foi ele a contactar a vítima para um encontro, para falarem da dívida.

Segundo Nuno Calçada, o crime ocorreu quando o Bruno Rodrigues disse que não tinha dinheiro para pagar.

O arguido confessou ao colectivo do tribunal que imobilizou Bruno Rodrigues com um atacador que enrolou à volta do pescoço, enquanto Armando Salles agredia o jovem a soco e a pontapé.

A família da vítima reclama o pagamento de uma indemnização no valor de 800 mil euros, acrescida de juros à taxa legal contabilizados a partir da data do crime.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?