Médico Gentil Martins: “Ronaldo é um estupor moral, não pode ser exemplo para ninguém”

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O médico António Gentil Martins, um dos mais conceituados cirurgiões portugueses, considerou hoje Cristiano Ronaldo “um estupor moral, que não pode ser exemplo para ninguém”, pelo facto de privar os filhos da companhia das mães biológicas.

Em entrevista ao jornal “Expresso”, Gentil Martins, 87 anos, considera a opção de Ronaldo “degradante e uma tristeza”.

“O Ronaldo é um excelente atleta, tem imenso mérito, mas é um estupor moral, não pode ser exemplo para ninguém. Toda a criança tem direito a ter mãe”, afirma o cirurgião, responsável em 1978 pela primeira operação de separação de gémeos siameses em Portugal.

Na citada entrevista, Gentil Martins, que foi bastonário da Ordem dos Médicos entre 1977 e 1986, aponta o dedo acusador a Dolores Aveiro, a mãe de Cristiano Ronaldo. “Penso que uma das grandes culpadas disto é a mãe dele. Aquela senhora não lhe deu educação nenhuma”, afirma.

Gentil Martins, pai de oito filhos e avô de 25 netos, tece ainda declarações polémicas sobre a homossexualidade: “Trato-os como a qualquer doente e estou-me nas tintas se são isto ou aquilo…

Não vou tratar mal uma pessoa que é homossexual, mas não aceito promovê-la. Se me perguntam se é correto? Acho que não. É uma anomalia, é um desvio de personalidade. Como os sadomasoquistas ou as pessoas que se mutilam”, afirma.

Declarações que estão já a gerar controvérsia nas redes sociais, com várias partilhas e pedidos de intervenção da Ordem dos Médicos.

Este artigo foi publicado originalmente no Jornal de Notícias

Qual a sua opinião?