Milionário assassinado regado com champanhe no velório

Detectámos que tem um Ad Block ativo

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o Ad Block (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Sheron Sukhedo, de 33 anos, foi assassinado a tiro quando estava a sair de casa dos sogros, em Trinidade e Tobago, na semana passada.

O multi-milionário é um dos homens mais ricos daquele estado, tendo feito fortuna com a venda de imóveis e carros de luxo, e as cerimónias fúnebres de Sheron estão a dar que falar em todo o mundo.

No velório, o milionário estava dentro de um caixão banhado e decorado com ouro, com todas as suas joias, avaliadas em cerca de 200 mil euros e as suas adoradas botas Timberland (o único calçado que o empresário usava).

Enquanto lhe eram prestadas homenagens, Sheron foi regado com várias garrafas de champanhe Moët & Chandon.

Para o funeral, o corpo foi transportado num Bentley avaliado em 175 mil euros. Sheron foi cremado mas, segundo os meios de comunicação locais, as joias foram retiradas do corpo antes do processo.

Sheron deixa dois filhos menores e a mulher, Rachel, que está destroçada e até teve que ser internada devido a complicações psicológicas, após o trauma da morte do marido.

A polícia está a investigar o homicídio do empresário, que estará relacionado com gangs rivais de Trinidade e Tobago. O gang Rasta City é suspeito de planear a morte de Sheron há vários anos, mas este sempre foi protegido por um gang rival. Há dois anos Sheron já tinha sido baleado, mas sobreviveu.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Recomendações

Recomendações

Comente e partilhe a sua opinião!