Ministra do Mar apresenta projeto «A pesca por um mar sem lixo»

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

A Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, apresentou o projeto «A pesca por um mar sem lixo» com o objetivo de promover a redução dos resíduos no mar através do apoio à adoção de boas práticas ambientais por parte dos pescadores e potenciar a valorização e reciclagem dos resíduos recolhidos no mar.

Na ilha da Culatra, concelho de Faro, a Ministra afirmou que o projeto vai ao encontro da «grande ambição» do Governo de «participar de forma ativa relativamente à saúde do oceano e das praias portuguesas».

«A limpeza no oceano tem de ser garantida de várias formas e a forma que vamos lançar aqui no Algarve é, começando pela Culatra, a pesca por um mar limpo», referiu, acrescentando que a meta é garantir que os desperdícios associados ao pescado e à pesca deixam de ser atirados ao mar, criando condições nas embarcações «para que o mar se possa manter limpo».

A iniciativa vai ser implementada em colaboração com o município de Faro, das Associações de Pescadores, da Associação de Moradores da Ilha da Culatra e da Associação Portuguesa de Lixo Marinho.

Contributo da comunidade piscatória

Ana Paula Vitorino destacou ainda a importância do papel desempenhado pela comunidade piscatória, que tem sido parceira de «novas políticas ligadas ao mar, quer de sustentabilidade das espécies e dos stocks, quer nestas políticas de limpeza e ambientais».

A Ministra referiu também que o Governo está a preparar «outros programas para limpeza das praias com entidades privadas e outras entidades públicas» e acrescentou que Portugal está a negociar e a subscrever protocolos com países como o Canadá ou a Noruega que vão no sentido de contribuir para a preservação e limpeza do oceano.

«A Pesca por um mar sem lixo» é um programa «muito interessante» que permite ter «uma base sustentável para limpeza dos oceanos em mar profundo», disse.

Este artigo foi publicado originalmente no Portal do Governo de Portugal

Qual a sua opinião?