in

Morreu um dos feridos na queda de torre de telecomunicações em Cascais

Um dos dois trabalhadores feridos após a queda de uma torre de telecomunicações em Alcabideche, no concelho de Cascais, morreu no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, confirmou à Lusa fonte do Centro Hospitalar Lisboa Norte.

O homem, de 25 anos, encontrava-se com “prognóstico muito reservado” no Hospital de Santa Maria, mas acabou por não resistir aos ferimentos, informou o Centro Hospitalar Lisboa Norte.

Após a queda de uma torre de telecomunicações em Alcabideche, o trabalhador de 25 anos sofreu uma paragem cardiorrespiratória, situação que foi revertida no local pela equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), e foi transportado para o Hospital Santa Maria.

Os dois trabalhadores feridos, dois homens de 24 e 25 anos, encontravam-se em “estado muito grave” e foram transportados para unidades hospitalares em Lisboa, disse à Lusa fonte dos bombeiros.

Segundo os bombeiros, o ferido de 24 anos foi transportado para o Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa.

A fonte explicou que “um dos trabalhadores ficou debaixo da torre e outro na lateral”, e que foram retirados com o apoio de equipamento para elevar a estrutura.

No momento da queda, que será analisada pela Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), “os dois trabalhadores estavam em cima da torre, com altura aproximadamente de 35 a 40 metros”, indicou a mesma fonte.

Há ainda registo de um terceiro elemento que teve de receber apoio psicológico, por se encontrar em “estado de choque”, adiantou a fonte dos Bombeiros Voluntários de Alcabideche, referindo que não há conhecimento de mais trabalhadores a operar nesta torre de telecomunicações.

De acordo com informação da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, a ocorrência de “queda de estruturas temporárias ou móveis” ocorreu pelas 10:40, mobilizando 19 operacionais de socorro e oito meios terrestres.

Deixe uma resposta

Loading…

0

Covid-19: Menos de 5% dos 500 trabalhadores da DHL da Azambuja testaram positivo

Covid-19: Portugal usa dexametasona mas aguarda mais informações de estudos