Categories: Mundo
| Em
21/10/2019 10:13

Mulher condenada a 6 meses de prisão por devolver roupa usada na Zara

Uma mulher de 30 anos de idade foi condenada a seis meses de prisão por um crime de fraude continuada, em Espanha. A mulher comprava roupa nas lojas da Zara e, aproveitando o mês que tinha para devolver os produtos, colocava a etiqueta interior e exterior numa peça de roupa que já possuía e devolvia-a como se fosse a que tinha comprado recentemente, revela o Heraldo.

Tania repetiu esse “modus operandi” durante seis meses, no período entre outubro de 2017 e março de 2018. A marca não detectou a fraude porque a mulher substituía meticulosamente as etiquetas, inclusivamente o código de barras das diferentes cores das peças.

Embora a promotoria tenha solicitado uma pena de 15 meses de prisão, a decisão do Tribunal Penal 4 de Saragoça decidiu privar a mulher da liberdade durante seis meses.

As três mulheres encarregadas das três lojas visitadas com frequência pela acusadoa, em Gran Casa, Puerto Venecia e no Paseo de las Damas, foram ao julgamento , realizado no dia 30 de setembro, como testemunhas.

Em tribunal explicaram que Tania nunca solicitou um reembolso em dinheiro, porque conhecia os procedimentos internos da empresa pelos quais o gerente da loja deve autorizar essa devolução. Garantiram ainda que o réu sempre lidou com caixas, uma vez que elas se revezavam em rotações maiores e só verificavam que os rótulos interno e externo correspondiam.

Redação

O Informa+ é uma publicação periódica online portuguesa que se dedica à divulgação e partilha na internet de notícias, informações importantes e ainda ferramentas úteis para o seu dia-a-dia.

Mais informação sobre: EspanhaTribunalZara