Novo filme de Quentin Tarantino confirmado na competição do Festival de Cannes

Os filmes “Once Upon a Time in Hollywood”, de Quentin Tarantino, e “Mektoub, My Love: Intermezzo”, de Abdellatif Kechiche, vão participar na competição do 72.º Festival de Cinema de Cannes, em França, foi hoje anunciado.

PUB

Depois de algumas dúvidas sobre se o mais recente filme do realizador norte-americano Quentin Tarantino, que se estreia nas salas de cinema portuguesas a 08 de agosto, estaria pronto a tempo de integrar o certame, que decorre entre os dias 15 e 23 de maio, a confirmação chegou hoje através do festival.

“Estávamos com receio de que o filme não estivesse pronto, […] mas Quentin Tarantino, que não saiu da sala de edição durante quatro meses, é um verdadeiro, leal e pontual filho de Cannes”, afirmou o diretor do Festival de Cannes, Thierry Fremaux.

Tal como aconteceu com “Inglourious Basterds” (“Sacanas sem lei”), Tarantino vai garantidamente estar em Cannes – 25 anos depois da Palma de Ouro por “Pulp Fiction” -, com um filme pronto a ser exibido em 35mm, trazendo no elenco os atores Leonardo DiCaprio, Margot Robbie e Brad Pitt.

O outro filme anunciado hoje para a mostra competitiva, e que completa a lista dos 21 apresentados nesta secção, é “Mektoub, my love: Intermezzo”, do realizador franco-tunisino Abdellatif Kechiche, que também chegou a estar em dúvida.

“Eu vi o filme na quinta-feira passada, quando ainda estava a ser editado, e definitivamente a meio das edições! Mas vai estar concluído e terá a duração de quatro horas”, afirmou Thierry Fremaux, acrescentando que este filme será exibido no final do festival.

Abdellatif Kechiche regressa a Cannes seis anos depois de ter vencido a Palma de Ouro com “A vida de Adèle”.

A organização do Festival de Cannes adicionou hoje mais sete filmes ao programa, entre os quais, as longas-metragens “Lux AEterna”, do realizador franco-argentino Gaspar Noé, que será exibida nas “Sessões da Meia-Noite”, bem como “Chicuarotes”, segundo filme dirigido pelo ator mexicano Gael García Bernal, “La cordillera de los sueños”, do chileno Patricio Guzmán, e “Ice on fire”, de Leila Conners, que passarão nas “exibições especiais”.

Na mostra “Un certain regard”, serão exibidos “La famosa invasione degli orsi in Sicília”, de Lorenzo Mattotti, e “Odnazhdy v Trubchevske”, de Larissa Sadilova.

Os restantes filmes que compõem a seleção oficial do Festival de Cannes, anunciada no dia 18 de abril, são “Frankie”, do realizador norte-americano Ira Sachs, rodado em Portugal e com coprodução, equipas técnicas e atores nacionais.

Rodado em Sintra, com coprodução de Luís Urbano e direção de fotografia de Rui Poças, “Frankie” é interpretado por Isabelle Huppert, Brendan Gleeson e Marisa Tomei, num elenco que integra também Carloto Cotta, Ana Brandão e Márcia Breia. Estreia-se em Portugal em outubro.

Da competição oficial fazem parte, entre outros, “Bacurau”, dos realizadores brasileiros Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, “Dolor y Gloria”, de Pedro Almodóvar, “Sorry We Missed You”, de Ken Loach, “A Hidden Life”, de Terrence Malick, “Les Misérables”, primeira obra do realizador maliano Ladj Ly, e “Il Traditore”, de Marco Bellocchio.

A eles juntam-se ainda “The Dead Don’t Die”, filme de Jim Jarmusch que abrirá Cannes, e “Parasite”, que assinala o regresso do realizador sul-coreano Bong Joon Ho ao festival, depois de, em 2017, ter causado polémica – e aberto discussão – com “Okja”, produzido pela plataforma de ‘streaming’ Netflix.

Na secção “Um certain regard” já tinha sido anunciada a inclusão de “Vida Invisível”, do realizador brasileiro Karim Ainouz, e “Liberté”, do espanhol Albert Serra, rodado em 2018 no Alentejo, com produção da Rosa Filmes.

Fora da competição oficial, Cannes escolheu, por exemplo, “Rocketman”, de Dexter Fletcher sobre Elton John, “Diego Maradona”, de Asif Kapadia, “Too Old To Die Young – North of Hollywood, West of Hell”, de Nicolas Winding Refn, e “Tommaso”, de Abel Ferrara.

Ainda com programação por anunciar, nomeadamente nos programas paralelos Quinzena dos Realizadores e Semana da Crítica, a direção de Cannes revelou nas últimas semanas que o realizador mexicano Alejandro González Iñárritu presidirá ao júri da competição oficial.

O ator francês Alain Delon, 83 anos, receberá a Palma de Ouro de Honra e é feita ainda homenagem à cineasta Agnès Varda, recentemente falecida, a quem é dedicado o cartaz oficial do festival.


Recomendados

Recomendados

Comente, qual a sua opinião?
A carregar...

Outros conteúdos na web