Pai afogou filhos antes de lhes pegar fogo “para que não sofressem”

0 18

As autópsias realizadas aos corpos de duas crianças que foram encontrados carbonizados numa casa em Getafe, Madrid, esta terça-feira, presumivelmente mortas pelo pai que se suicidou em seguida, revelam que os dois irmãos foram afogados antes do incêndio que destruiu parte da casa da família.

Fonte da investigação adianta à agência Efe que as crianças, uma menina de oito anos e um menino de 13, terão sido afogadas na banheira de casa, antes de serem deitadas pelo pai na cama do quarto que partilhava com a mulher.

Depois, o homem pegou fogo à casa e fugiu, tendo cometido suicídio na estação ferroviária de Getafe, que fica a cerca de dois quilómetros da casa da família.

A Policía Nacional espanhola encontrou uma nota de suicídio com o cadáver do homem onde, segundo a Europa Press, o homem confessa ter morto os filhos “para que não sofressem”.

Este bilhete já consta dos processo da investigação ao caso, que está a ser tratado já como um duplo infanticídio, qinda que os motivos que levaram o pai das crianças a tal seja para já desconhecido.

Tanto a Policía Nacional como o município de Getafe já referiram que não havia denúncias existentes de maus-tratos no seio daquela família e que o pai das crianças, de 46 anos, não tinha antecedentes criminais. No entanto fonte próxima da família garante que o casal estava em processo de separação.

O alerta do incêndio foi dado pelas 8h30 da manhã desta terça-feira, horas locais, menos uma hora em Lisboa. Os bombeiros não demoraram muito para apagar o fogo que estava circunscrito a uma parte da casa, mas após a extinção das chamas foram encontrados os dois cadáveres das crianças.

Ao ser informada da morte dos filhos, a mãe das crianças entrou em choque e teve de ser transportada para o hospital.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Comente, dê a sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado.