Piloto português detido na Alemanha quando embarcava em voo da TAP embriagado

Detectámos que tem um Ad Block ativo

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o Ad Block (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Um piloto português foi detido na noite de sexta-feira no aeroporto de Estugarda, na Alemanha, quando se preparava para embarcar num voo da TAP para Lisboa (operado pela Portugália) embriagado.

A imprensa local dá conta de que um funcionário do aeroporto percebeu pelo hálito e pela forma como o tripulante, que seria o co-piloto do avião, cambaleava à entrada do avião, que o homem de 40 anos não estava em condições de voar e alertou as autoridades.

O piloto foi então detido pela polícia, que confirmou o seu estado de embriaguez através de um teste de alcoolémia. Em consequência do caso, os 106 passageiros que esgotavam o voo e se preparavam para voar para Lisboa ficaram em terra, por não haver pessoal para substituir o piloto embriagado.

O português foi detido com uma fiança de 10 mil euros e as autoridades alemãs pedem que lhe seja retirada a licença de voo. O CM apurou que a restante tripulação também foi retida pelas autoridades alemãs, que consideram que toda a equipa é responsável pelo facto de o piloto ter embarcado no avião nas condições de embriaguez em que se apresentou para voar.

O voo em causa era o TAP com o código TP 523, com partida marcada na Alemanha pelas 18h50 (hora local) e que deveria ter aterrado em Lisboa pelas 20h50. O avião em causa é um Embraer 190, com capacidade até 106 passageiros

TAP confirma “incapacidade do piloto”
Numa nota enviada ao CM, a TAP confirma o incidente que aconteceu na Alemanha, mas não adianta muitos pormenores:

“O voo TP523 de Estugarda para Lisboa, operado pela Portugália, foi ontem [sexta-feira] cancelado, devido a incapacidade do co-piloto.

A Companhia abrirá um processo de inquérito interno e atuará em conformidade, tomando as medidas necessárias e consequentes, e pede desde já desculpas aos passageiros pelo transtorno provocado.”

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Recomendações

Recomendações

2 Comentários

  1. Isabel santos
    • Informa+

Comente e partilhe a sua opinião!