Porto terá autocarro elétrico sem condutor

Detectámos que tem um Ad Block ativo

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o Ad Block (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

STCP começa testes até ao início de 2019. Ambição é tê-los em operação comercial a partir de 2020.

A STCP vai testar, na zona do polo universitário da Asprela, no Porto, um autocarro sem condutor, movido a energia elétrica, com autonomia até oito horas. Os testes-piloto deverão começar a ser realizados até ao início de 2019. O projeto é financiado a 90% por fundos europeus.

Para já, “está a decorrer a fase de consulta ao mercado para a escolha dos veículos que já têm data para ser ensaiados em várias cidades europeias, uma delas é o Porto”, disse ao JN Paulo Ferreira, diretor administrativo e financeiro da STCP.

O projeto pertence ao consórcio FABULOS (Sistemas de Operação de Nível Urbano de Autocarros Automatizados Futuros) e “centra-se no modo como as cidades podem usar miniautocarros de condução sem condutor de forma sistemática”. O grande objetivo é obter a operação de linhas de autocarros automatizados. Sendo que, para desenvolver a tecnologia necessária ao funcionamento dos veículos, a STCP está a convidar parceiros nacionais. “Queremos testar o conceito para que haja uma utilização comercial a partir de 2020”, explicou Paulo Ferreira.

Além do Porto, o projeto está em mais cinco países da Europa: Grécia, Holanda, Noruega, Estónia e Finlândia. “O valor total de investimento é de 7,8 milhões de euros. Serão comparticipados, a fundo perdido, pela União Europeia, em 90%. No caso de Portugal, a STCP vai avançar com um milhão, ao longo dos próximos três anos, dos quais 100 mil euros são fundos próprios”, afirmou o representante da STCP.

Para a empresa ou empresas responsáveis pela tecnologia estão destinados até 5,5 milhões.

Circuito aberto

O “FABULOS” pretende integrar os autocarros nas redes de transportes públicos clássicos. Paulo Ferreira revelou que o circuito-teste está a ser definido com a Câmara do Porto, mas, à partida, o que está apontado é que comece no Polo Universitário da Asprela. “Já existem situações destas em ambientes controlados, mas a experiência do Porto será em circuito aberto”, disse.

Em setembro e outubro, será lançado um concurso internacional para a aquisição de sistemas capazes de operar as frotas.

Pagamento voluntário de coimas até abril dá desconto

A Metro e a STCP estão a avisar os seus utentes de que o pagamento voluntário de coimas em atraso dá desconto até 75%, se forem pagas até ao dia 30 de abril. A partir desse dia, todas as multas serão enviadas para a Autoridade Tributária, “dando origem à abertura de processos de contraordenação fiscal”, que podem atingir um montante de 350 euros. Este regime especial de pagamento aplica-se aos clientes multados desde 2014, por ausência de título de transporte válido. As coimas relativas à Metro atingem, no máximo, 45 euros (em vez dos 120 euros), enquanto que as da STCP poderão ser 69,38 euros ou 71,25 euros. As empresas estão a contactar via correio os clientes multados.

Este artigo foi publicado originalmente no Jornal de Notícias

Recomendações

Recomendações

Comente e partilhe a sua opinião!