Portugal tem como objetivo ser um país neutro em carbono até 2050

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, afirmou que Portugal tem como objetivo ser um país neutro em carbono até 2050, na abertura da cerimónia de comemoração dos 10 anos da parceria internacional de ação para o mercado do carbono, em Lisboa.

«Para esta muito exigente tarefa, é necessária a vontade de toda a sociedade, das parcerias estabelecidas com a União Europeia e com os seus membros, mas também com outras jurisdições», lembrou o Ministro.

Recordando que a Parceria foi criada há 10 anos, durante a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia, João Pedro Matos Fernandes congratulou-se que esta iniciativa se tenha tornado no que os seus fundadores desejavam, «um fórum real e de ação orientada para o mercado de carbono».

«Os fundadores da Parceria estavam bem cientes dos controlos importantes das emissões que requeriam soluções como os mercados de carbono, assim como da complexidade e da dificuldade de colocar em prática, e que o ponto fundamental era a troca de experiência entre as partes», disse o Ministro.

João Pedro Matos Fernandes acrescentou ainda: «Em 10 anos, esta iniciativa evoluiu, de 15 Governos para 31 participantes e quatro observadores».

De entre os temas em debate, contam-se a cooperação internacional do mercado de carbono, a negociação de emissões, e as estratégias climáticas a longo prazo.

O mercado de carbono é um instrumento de prospetiva comercial e ecológica, desenvolvido para incentivar a redução dos gases de efeito estufa estabelecida pelo Protocolo de Quioto.

Este artigo foi publicado originalmente no Portal do Governo de Portugal

Qual a sua opinião?