Portugal paga dívida de 6 mil milhões de euros aos mercados – IGCP

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Portugal reembolsou uma linha de Obrigações do Tesouro no valor de 6.080 milhões de euros que foi avançada em 2017, segundo confirmou hoje a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP).

De acordo com a página da IGCP na agência de informação financeira Bloomberg, foi amortizada uma linha de Obrigações do Tesouro a 10 anos, que tinha uma taxa de juro de 4,35%, o que significa que Portugal reduz a dívida e os juros.

Segundo o relatório da proposta de Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), Portugal prevê emitir 38.800 milhões de euros (sobretudo em Bilhetes e Obrigações do Tesouro) e amortizar cerca de 28.800 milhões (dos quais 1.500 ao FMI – Fundo Monetário Internacional), daí resultando um financiamento líquido de quase 10.000 milhões de euros.

“Em 2018, a principal fonte de financiamento líquido deverá novamente concentrar-se na emissão de dívida de médio e longo prazo em mercado, antecipando-se um contributo positivo de OT [Obrigações do Tesouro] de cerca de 8.400 milhões de euros”, lê-se no documento.

Adicionalmente, prevê-se que os Certificados de Aforro e do Tesouro mantenham o contributo positivo (financiamento líquido de 1.000 milhões de euros), ainda que “inferior ao observado nos últimos anos”, afirma o Governo.

Segundo os números mais recentes do Banco de Portugal, a dívida pública na ótica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, aumentou 1,3 mil milhões de euros em agosto, face a julho, situando-se em 250,4 mil milhões de euros. O número mais recente do rácio da dívida face ao Produto Interno Bruto (PIB) aponta para uma dívida pública de 132,2% no primeiro semestre.

O Governo estima agora que, no final de 2017, o rácio da dívida pública em percentagem do PIB deverá situar-se em 126,2%, o que corresponde a uma diminuição de 3,9 pontos percentuais do PIB face ao final de 2016.

Para 2018, o executivo projeta uma redução da dívida pública em 2,8 pontos percentuais do PIB, atingindo 123,5% do PIB.

Qual a sua opinião?