Português e filho detidos em França suspeitos de proxenetismo e tráfico de seres humanos

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Um português, de 60 anos, e o filho lusodescendente, de 37 anos, foram detidos na cidade francesa de Lyon e acusados de “proxenetismo agravado, tráfico de seres humanos, associação criminosa e branqueamento”, disse à lusa fonte judiciária.

Os suspeitos, que negaram as acusações, estão em detenção provisória em Lyon enquanto decorre a fase de instrução do processo, na qual pode ser feita uma investigação em Portugal.

A mesma fonte precisou que o suspeito português teria constituído um património imobiliário de “cerca de um milhão e seiscentos mil euros” em Portugal e de “cerca de um milhão de euros” em França.

A investigação começou em 2015 mas “a fase mais ativa” arrancou em maio deste ano, de acordo com a mesma fonte, que precisou que o suspeito de nacionalidade portuguesa nasceu em 1957 e o seu filho em França em 1980.

A notícia foi divulgada pelo jornal regional Le Progrès que, na sexta-feira, titulava “Reformado fez fortuna com alojamento de prostitutas”, adiantando que “um reformado e o seu filho são suspeitos de terem acumulado milhões de euros ao arrendar apartamentos, por vezes, sórdidos, a prostitutas que pagavam em dinheiro”.

O jornal indicou que os suspeitos, detidos há uma semana, afirmaram ignorar a atividade dos inquilinos, e acrescentou que os “cerca de 30 apartamentos” que detinham em Lyon seriam arrendados por “até 700 euros por semana a prostitutas”, o que lhes teria permitido “juntar cerca de 400.000 euros por ano”.

Qual a sua opinião?