Programa de medicamentos gratuitos para carenciados já conta com 60 municípios

Detectámos que tem um Ad Block ativo

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o Ad Block (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Cerca de 60 municípios já aderiram ao programa de dispensa gratuita de medicamentos para doentes crónicos carenciados da Associação Dignitude, foi hoje anunciado na Lourinhã.

Depois de a associação ter em janeiro estabelecido uma parceria com a Associação Nacional de Municípios Portugueses, são já cerca de 60 os que aderiram ao programa Abem – Rede Solidária do Medicamento, disse à agência Lusa a presidente do conselho geral e de supervisão da Associação Dignitude, Maria de Belém Roseira.

“Cobrimos todo o Portugal continental e regiões autónomas e há apenas dois distritos onde nenhum ainda assinou formalmente”, acrescentou.

O programa, lançado há dois anos para ajudar pessoas com doenças crónicas na compra de medicamentos, tem quatro mil beneficiários e, com o envolvimento das farmácias e dos municípios, o objetivo “é chegar ao final do ano com 25 mil”, em todos os concelhos do país.

Maria de Belém Roseira detalhou que 50% dos beneficiários são pessoas em idade ativa, 25% são crianças e os outros 25% são idosos.

A responsável explicou que o programa “pretende evitar que as pessoas tenham de escolher entre comer e comprar medicamentos, salvaguardando sempre a dignidade da pessoa”, já que na adesão ao programa lhes é entregue um cartão para aviar a medicação “sem exibir a sua situação de pobreza”, que apenas fica no conhecimento do farmacêutico.

Maria de Belém Roseira falava após uma parceria estabelecida com os municípios da Lourinhã (distrito de Lisboa) e de Peniche (distrito de Leiria), que passaram a aderir ao programa.

Em janeiro, o programa Abem venceu o prémio António Sérgio, na categoria de Inovação e Sustentabilidade.

A Associação Dignitude foi criada em novembro de 2015 pela Associação Nacional de Farmácias, Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica, Cáritas e Plataforma Saúde em Diálogo e resulta de várias parcerias instituídas com entidades a nível local, autarquias, instituições particulares de solidariedade social (IPSS) e outras instituições da área social.

Recomendações

Recomendações

Comente e partilhe a sua opinião!