Programa de reutilização de manuais escolares precisa de mais livros para satisfazer necessidades

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Setenta mil famílias podem este ano poupar um total de três de milhões de euros em manuais escolares usados, com a plataforma Book in Loop, mas é indispensável haver mais entregas de livros utilizados para satisfazer todas as exigências.

De acordo com os responsáveis da empresa criada em Coimbra no Instituto Pedro Nunes, a procura é 10 vezes superior à oferta.

No ano passado, a empresa teve 19 mil famílias registadas na plataforma e movimentou 30 mil livros, proporcionando 300 mil euros de poupança.

Para este ano, João Bernardo Parreira, daquela empresa, estima movimentar 100 mil manuais e que o número de famílias registadas atinja as 70 mil.

Em 2016, a empresa Book in Loop criou um sistema de partilha de livros escolares cómodo, eficiente e com garantia de qualidade pedagógica que, num ano, cresceu substancialmente.

No entanto, o diretor executivo, João Bernardo Parreira, lamentou à agência Lusa que haja “muito mais gente a reservar do que a entregar”.

“É preciso que as famílias retirem os livros antigos das prateleiras, onde estão a ganhar pó, e os entreguem nos mais de 150 pontos de recolha que possuímos”, sublinhou.

A plataforma ‘online’ de compra e venda de manuais usados do 5.º ao 12.º ano permite descontos de 60% nos livros adquiridos pelas famílias e o recebimento de 20% do valor dos manuais entregues, o que representa uma poupança significativa.

João Bernardo Parreira salienta que “quem entregar todos os manuais de que não precise e só adquirir livros usados poderá poupar 80% dos 216 euros que, em média, se gastam por ano com um filho no início das aulas”.

“Há cada vez mais famílias à procura de livros usados, mas muitas ainda mantêm os manuais de que não precisa em casa, o que gera um desequilíbrio para suprir as necessidades”, referiu o responsável.

A entrega tem de obedecer a critérios definidos por uma equipa de Pedagogia da Universidade de Aveiro – não podem ter capa rasgada, nem estar sublinhados a tinta, nem ter etiquetas permanentes – caso contrário vão para a reciclagem.

A Book in Loop pretende, até ao fim do ano em curso, permitir a “poupança de três milhões de euros” às famílias portuguesas “e evitar a emissão de 300 toneladas de CO2” para a atmosfera.

“Ao juntar quem tem livros de que já não necessita aos que precisam de os comprar, estamos a promover a sustentabilidade ambiental, económica e familiar”, afirma João Bernardo Parreira.

As famílias interessadas em aderir à plataforma devem registar-se em bookinloop.com e a recolha e entrega de livros pode ser feita em toda rede dos supermercados Continente, Bom Dia, Modelo ou Note, no âmbito de uma parceria com a Sonae para a campanha de 2017, que começou a 15 de junho e termina a 06 de agosto.

A empresa lançou também o Programa SPIN, orientado para as autarquias, com o objetivo de as famílias usarem um serviço de reutilização profissional de manuais escolares de forma gratuita.

A iniciativa da empresa de Coimbra integra já 11 municípios – Coimbra, Santarém, Guarda, Castelo Branco, Figueira da Foz, Famalicão, Fundão, Gouveia, Mação, Pinhel e Sertã – e a Junta de Freguesia da Estrela, em Lisboa.

O programa nestes concelhos envolve 70 escolas e 50 mil alunos, que vão reutilizar manuais escolares no próximo ano letivo.

A empresa Book in Loop, sediada no Instituto Pedro Nunes, em Coimbra, foi criada em 2016 por três empreendedores e, neste momento, já conta com 24 trabalhadores.

Qual a sua opinião?