Categories: Atualidade
| Em
10/10/2019 19:17

Projeto transfronteiriço para diagnóstico precoce de leucemia vai envolver 4.000 voluntários

Por Lusa

Coimbra, 10 out 2019 (Lusa) – O projeto transfronteiriço de investigação e diagnóstico precoce de leucemia entre a região Centro de Portugal e a Região de Castela e Leão, em Espanha, vai envolver 4.000 voluntários selecionados de forma aleatória, foi hoje anunciado.

Na apresentação do projeto “IDIAL_NET – Rede Transfronteiriça de Inovação no Diagnóstico Precoce da Leucemia para um envelhecimento saudável”, no auditório da Unidade de Alcoologia de Coimbra, o coordenador científico, Álvaro Órfão, disse que a investigação vai envolver mil voluntários em Portugal e 3.000 em Espanha, que vão ser sujeitos a uma análise de sangue.

A investigação, financiada pela União Europeia em 1,15 milhões de euros – no âmbito do programa INTERREG/POCTEP, é coordenado pela Fundação de Investigação do Cancro da Universidade de Salamanca (FICUS) e envolve a Universidade de Coimbra e a Administração Regional de Saúde do Centro.

“Os voluntários vão ser sujeitos a uma análise de sangue, que através de técnicas muito sensíveis vai procurar se há indício de alguma célula que não seja normal [linfocitose B monoclonal], o que seria uma fase muito inicial de uma leucemia ou um linfoma”, explicou Alberto Órfão.

Trata-se de um diagnóstico precoce de leucemia, “que sempre que se fez mostrou ser benéfico para o doente”, salientou o coordenador do projeto, que teve início em julho e termina no final de 2021.

A partir daqui, o participante no estudo fica com a informação “se está tudo bem ou há algum pequeno clone de que queira saber o resultado, o que vai permitir segui-la bem e atuar se houver algum problema no futuro”.

“O objetivo é chegar a uma deteção precoce nesta aérea e depois, numa etapa posterior, fazer uma intervenção com um tratamento não tóxico para controlar que a doença não apareça”, frisou o académico da Universidade de Salamanca.

Os voluntários vão ser pessoas adultas a partir dos 18 anos, selecionados pelos médicos de família de forma aleatória para se ter uma representação das áreas abrangidas por idades e género.

São também objetivos do projeto o aumento do conhecimento sobre a evolução deste tipo de cancro e o desenvolvimento de ferramentas de diagnóstico minimamente invasivas, inovadoras, altamente sensíveis e também mais baratas, já que a atual análise “é muito cara para os serviços de saúde.

O consórcio do projeto IDIAL_NET envolve investigadores altamente especializados nas áreas da saúde pública, oncologia, hematologia, envelhecimento, genética e diagnóstico laboratorial e com vasta experiência em robótica e desenvolvimento de dispositivos médicos.

Esta rede multidisciplinar ibérica é constituída por oito parceiros, sendo três deles portugueses, a Universidade de Coimbra (representada pela Faculdade de Medicina), a Administração Regional de Saúde do Centro e a empresa conimbricense InfoGene.

Do lado espanhol, participam no estudo o Centro de Investigação do Cancro da Universidade de Salamanca, a Direção-Geral de Saúde Pública de Castela e Leão, o Centro Tecnológico CARTIF de Valladolid e as empresas Cytognos e InmunoStep.

No final do projeto, o consórcio prevê a transferência do conhecimento adquirido para os sistemas regionais de saúde dos dois países – Serviço Nacional de Saúde em Portugal e sua equivalente em Espanha.

Lusa

A Agência Lusa é a maior produtora e distribuidora de notícias sobre Portugal e o mundo, em língua portuguesa. A Lusa acompanha a atualidade nacional e internacional a cada segundo.