in

“Quando vier o verão ninguém segura os portugueses”

Miguel Sousa Tavares, jornalista e comentador no Jornal das 8, da TVI, considerou esta segunda-feira que a situação de calamidade pública não tem o efeito prático que se verificou no estado de emergência, uma vez que não há autoridade de “mandar as pessoas para casa”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“Eu não sei com que poder é que a polícia vai poder mandar os cidadãos para casa. Não tem o poder legal para o fazer”, disse Miguel Sousa Tavares, adiantando que as limitações serão muito menores.

“Se a ideia é começarmos a ser desconfinados, não faz sentido a situação de calamidade pública. Não sei para que é que serve. Mais vale acabar com o estado de emergência pura e simplesmente”, admitiu, garantindo que o efeito jurídico da situação de calamidade pública não se aplica ao caso de uma pandemia e que este “não tem efeito prático nenhum”.

Sousa Tavares considerou ainda que se se optar por manter o confinamento das pessoas, “mais vale um estado de emergência que se vá adaptando semana a semana, gradualmente, àquilo que é a intenção do Governo”.

Miguel Sousa Tavares vai mais longe e afirma que os portugueses estão a antecipar o desconfinamento antes deste se tornar efetivo.

O jornalista diz ter constatado que há muitos portugueses ansiosos por ir trabalhar e por retomar a vida normal. “Quando vier aí o verão ninguém segura os portugueses”, disse.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE  

Receba notícias de última hora e ainda informações importantes sobre Portugal e o mundo, basta clicar no gosto da nossa página de facebook ➜  

Receba notícias de última hora e ainda informações importantes sobre Portugal e o mundo, basta clicar no gosto ➜  

Receba notícias de última hora e ainda informações importantes sobre Portugal e o mundo, basta clicar no gosto ➜  

Deixe uma resposta

Loading…

0

ARTIGOS RECOMENDADOS

Supremo reduz e suspende pena a homem que abusou de filhas de militares

Covid-19: Altice suspende pagamentos a clubes da I e II Ligas de futebol em abril