Quatro arguidos constituídos após buscas na Câmara de Faro e empresa municipal

As autoridades judiciárias realizaram hoje buscas na Câmara de Faro, na empresa municipal AmbiFaro, no mercado municipal e num escritório de advogados, num processo que investiga alegados crimes de corrupção e económicos, tendo sido constituídos quatro arguidos.

PUB

Na origem das buscas está “um inquérito dirigido pelo Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal de Faro” ao abrigo do qual se está a investigar eventuais crimes “de corrupção, de participação económica em negócio, de peculato e de prevaricação”, contextualizou a Procuradoria-Geral da República (PGR) numa resposta escrita enviada à Lusa.

Uma nota da Polícia Judiciária indica que foram constituídos quatro arguidos, sem especificar quem são e que funções desempenham.

A PGR precisou que em causa estiveram buscas domiciliárias e não domiciliárias.

“As buscas desenvolvem-se em vários locais, designadamente na AMBIFARO, Gestão de Equipamentos Municipais, E.M., na Câmara Municipal de Faro, no mercado municipal de Faro e em escritório de advogado”, sinalizou.

A mesma fonte salientou que o inquérito está “em segredo de justiça” e que as diligências realizadas contam com a colaboração da Polícia judiciária.

A Lusa tentou obter uma reação e esclarecimentos adicionais da Câmara de Faro e do seu presidente, Rogério Bacalhau (PSD), mas ainda não obteve resposta.


Recomendados

Recomendados

Comente, qual a sua opinião?
A carregar...

Outros conteúdos na web