in

Rio diz que taxa de desemprego em Portugal “é uma incógnita”

Albufeira, Faro, 29 jul 2020 (Lusa) – O presidente do PSD considerou hoje que a taxa de desemprego em Portugal continua a ser “uma incógnita”, e que os números conhecidos são apenas estatísticos, sendo a taxa efetiva muito difícil de estimar.

“A taxa de desemprego em Portugal é uma incógnita, porque aquilo que foi hoje divulgado, era bom que fosse assim, mas não é, é pior, afirmou Rui Rio aos jornalistas à margem de uma reunião com associações empresarias do Algarve, em Albufeira, no distrito de Faro.

Segundo Rui Rio, os números conhecidos hoje sobre o desemprego em Portugal referem-se “ao desemprego registado e a pessoas que estão no desemprego, mas não refletem a realidade”.

“Nós temos imensas empresas e milhares de trabalhadores em ‘lay-off’, desses trabalhadores quantos é que vão regressar ao trabalho e quantos é vão sair para o desemprego”, questionou o presidente dos social-democratas.

Rui Rio questiona também o real significado do ‘lay-off’, considerando que o mesmo pode querer dizer “semidesemprego ou emprego nenhum”, ressalvando “que se não houvesse empresas em ‘lay-off’ e uma taxa de desemprego de 7%, não seria bom nem mau”.

“Infelizmente a taxa de desemprego é um número, uma estatística, e se formos à realidade, não sabemos efetivamente qual é a taxa de desemprego neste momento em Portugal, é muito difícil de estimar”, concluiu.

O presidente do PSD iniciou hoje uma visita de dois dias ao Algarve “para conhecer os problemas reais da região devido à pandemia da covid-19”, e reuniu-se durante a manhã, na Câmara de Albufeira com associações empresariais e turísticas.

O líder dos social-democratas almoça depois com autarcas do PSD, em Quarteira, seguindo-se um encontro com associações de pescadores no Porto de Pesca de Quarteira.

Rio visita ao final do dia uma empresa de viveiros agrícolas em Faro, encerrando o dia com um jantar com empresários algarvios, em Castro Marim.

Deixe uma resposta

Loading…

0

Covid-19: Subida da taxa de desemprego para 7% “assusta” e pode piorar – UGT

Santander Totta reduziu 167 trabalhadores e 25 agências num ano