in

Santarém tem o maior Presépio do Ribatejo em exposição

Santarém tem o maior Presépio do Ribatejo em exposição
© André Rubim Rangel

Eurico Ribeiro é artesão, natural de Póvoa de Santarém, e é o obreiro
responsável pela grande exposição que se encontra patente em Santarém, na rua Guilherme de Azevedo, junto ao cruzamento com a rua Serpa Pinto. Inserido na iniciativa «Reino de Natal» do concelho (desde 2017), esta construção presepista – com cerca de 450 a 500 figuras feitas manualmente pelo artesão – é visitável desde 22 de novembro até dia 6 de janeiro de 2020. Em termos materiais, as peças dividem-se entre terracota e madeira.

Eurico Ribeiro tem 58 anos de idade e logo aos 4 anos começou o seu gosto pelos presépios, que foi crescendo e se desenvolvendo ao longo dos tempos, até ao presente. Exemplo notório disso foi o seu “Presépio de Garagem” – como ficou conhecido –, começando a expô-lo há aproximadamente 25 anos, na sua garagem, para que todos os interessados pudessem visitá-lo. No início eram cerca de 100 peças, uma metade feita por si e a outra comprada. Nos últimos cinco anos, 95% das peças expostas são feitas por si, na arte artesanal de modelar e pintar o barro. De destacar, no global, que esta “Aldeia de Natal Ribatejano” retrata as principais cenas rurais do quotidiano, bem como alguns dos monumentos mais característicos da região escalabitana (cidade de Santarém e concelhos limítrofes). Tais como: convento de S. Francisco e Avieiros do Tejo (Santarém), Padrão de Santa Iria (Ribeira de Santarém), Salinas (Rio Maior) e Festa dos Tabuleiros (Tomar), entre outros.

De referir, ainda, que Eurico Ribeiro participou num workshop sobre modelagem, no Museu Nacional do Azulejo, em 2011. Aí conheceu Delfim Manuel – um dos melhores artesãos europeus e, indiscutivelmente, o maior barrista português –, com quem trocou algumas impressões e manifestando o interesse em aprender a trabalhar o barro com o melhor dos melhores. No entanto, Eurico Ribeiro já fazia antes peças em barro, desde os 10 anos, mas sem qualquer técnica nem orientação. Resultado da conversa com Delfim Manuel, tirou férias da sua profissão de então – encarregado de elevadores – e percorreu longos quilómetros para fazer formação no Atelier de Delfim, em Rebordões (Santo Tirso), nesse mesmo ano. Após um problema de saúde, em 2013, voltou no ano seguinte a Rebordões para uma atualização de formação com o mestre barrista. Eurico reformou-se por invalidez, por volta do ano 2015, passando a dedicar-se mais à vida de artesão (não só de presépios, mas fabricando outras peças de arte sacra e artigos regionais).

Concluindo, este é um programa natalino que já faz parte – todos os anos – da Cultura de Santarém. Tem aumentado em termos de número de visitantes e, também, de qualidade apresentada vs. quantidade de peças expostas. A visitar!

Sugestões para ti