Saúde apresenta plano estratégico para eliminar a infeção por VIH

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O plano estratégico e os desígnios do Programa Prioritário da Direção-Geral de Saúde para eliminar o VIH para os próximos anos vão ser divulgados durante a sessão de apresentação do relatório anual dos indicadores relativos à infeção por VIH em Portugal, que terá lugar a 29 de maio no auditório do Infarmed, em Lisboa.

O gabinete do Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, refere em nota que «o número de novos casos de VIH nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto representa cerca de dois terços do número de novas infeções em Portugal».

Neste âmbito, os presidentes das câmaras municipais de Lisboa, Fernando Medina, e do Porto, Rui Moreira, vão subscrever a Declaração de Paris – «Cidades na via rápida para acabar com a epidemia VIH» e assumir os sete objetivos principais que constam no documento:

  • acabar com a epidemia do VIH/SIDA nas cidades até 2030 e atingir metas ambiciosas até 2020;
  • colocar as pessoas no centro da resposta ao VIH/SIDA;
  • abordar as causas de risco, vulnerabilidades e transmissão do VIH;
  • usar a resposta ao VIH/SIDA para uma transformação social positiva e construção de sociedades equitativas, inclusivas, ágeis, resilientes e sustentáveis;
  • construir e acelerar respostas adequadas às necessidades locais;
  • mobilizar recursos para uma saúde pública e um desenvolvimento integrado;
  • unir líderes, trabalhando de forma inclusiva.

As cidades têm um papel destacado na aceleração da resposta à epidemia e as dinâmicas urbanas são vistas como um fator de aumento frequente do risco e vulnerabilidade para a infeção, juntando-se ainda desafios como a elevada densidade populacional, migrações e desigualdades.

A Declaração de Paris foi criada em 2014 e já foi subscrita por cidades como Banguecoque (Tailândia), Amesterdão (Holanda), Atenas (Grécia), Bucareste (Roménia), Genebra (Suíça), Atlanta, Denver e São Francisco (Estados Unidos).
Este artigo foi publicado originalmente no Portal do Governo de Portugal

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?