in

Sindicato dos CTT diz que adesão à greve é de 78% e empresa aponta 18,4%

Lisboa, 12 jun 2002 (Lusa) – O Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT) disse hoje que adesão à greve nos CTT era de 78% até às 12:00, enquanto a empresa aponta 18,4%, “sem impacto expressivo” na atividade.

Numa nota à imprensa, o SNTCT refere que “os dados recolhidos até ao meio dia apontam para uma adesão à greve de 78%”.

Os trabalhadores dos correios estão hoje em greve, pela segunda vez em duas semanas, em protesto, entre outros pontos, contra o pagamento do subsídio de refeição em cartão.

“É uma grande jornada de luta e a prova de que os trabalhadores querem profundas alterações na gestão da sua empresa”, refere o SNTCT, que salienta que “aumentos salariais, admissão de trabalhadores em número suficiente para prestar um serviço de qualidade, subsídio de refeição pago em dinheiro, condições de trabalho condignas e fim da prepotência são as reivindicações que CTT têm que satisfazer para que a luta termine”.

O sindicato avança ainda que “estão já marcadas várias lutas locais para os meses de junho e julho, mas se a gestão dos CTT continuar autista e prepotente os trabalhadores discutirão a realização de novas formas de luta”.

Num outro comunicado, os CTT informam que a adesão à paralisação dos trabalhadores dos correios era de 18,4% até às 12:00.

“Tendo procedido ao registo no sistema de processamento de vencimentos dos trabalhadores aderentes à greve”, os CTT “apuraram uma taxa efetiva de adesão de apenas 18,4% até às 12:00 desta sexta-feira, abaixo da adesão registada na greve de 29 de maio, sem impacto expressivo na atividade da empresa e sem impacto nos clientes”.

A distribuição postal “continua a ser prestada durante o dia de hoje, não tendo esta paralisação tido impacto na atividade e operação, não se sentindo qualquer interrupção do serviço aos clientes”, adiantam os CTT.

Relativamente às lojas, “a greve também não afetou o serviço, uma vez que 100% das lojas CTT, ou seja, as 544 lojas se encontram abertas”, referem os Correios de Portugal.

A greve dos trabalhadores dos CTT contra o pagamento do subsídio de almoço no cartão de refeição começou à meia-noite de hoje nas centrais de correios.

A greve foi convocada pelo SNTCT, SINDETELCO – Sindicato Democrático dos Trabalhadores dos Correios, Telecomunicações, Media e Serviços, SITIC — Sindicato Independente dos Trabalhadores da Informação e Comunicações, SINCOR – Sindicato Independente dos Correios de Portugal, SINQUADROS – Sindicato de Quadros das Comunicações, SINTTAV – Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual, SICOMP – Sindicato das Comunicações de Portugal, FENTCOP – Sindicato Nacional dos Transportes, Comunicações e Obras Públicas, SERS – Sindicato dos Engenheiros, SNEET – Sindicato Nacional dos Engenheiros e SERS – Sindicato dos Engenheiros da Região Sul.

ALU // CSJ

Deixe uma resposta

Loading…

0

Fitch alerta para subida da dívida portuguesa acima de 2014 mas nota “tolerância” dos mercados

Covid-19: Área da saúde acomoda 1.500ME somando OE e orçamento suplementar — Governo