in

Trabalhadores do Lusitana-restauração vão pedir subsídio de desemprego após três meses sem salários

Lisboa, 23 jun 2020 (Lusa) — Os trabalhadores do grupo de restauração Lusitana protestaram hoje contra os salários em atraso junto ao Ministério do Trabalho, tendo o empregador se comprometido a passar-lhes as declarações para o subsídio de desemprego, porque a empresa vai encerrar, disse um sindicalista.

Após três meses sem receber salário e tentativas infrutíferas de obter informação junto do grupo Lusitana-restauração, os trabalhadores concentraram-se junto ao ministério chefiado por Ana Mendes Godinho, em Lisboa, enquanto decorria no interior uma reunião de concertação entre representantes do seu sindicato e da empresa.

“O sócio-gerente da empresa disse-nos que não tem dinheiro para pagar os salários em atraso e que já pediu a insolvência, por isso pedimos-lhe que passasse as declarações para que os trabalhadores possam requerer o subsídio de desemprego para poderem subsistir”, disse à agência Lusa Miguel Ribeiro, do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Sul.

Segundo o sindicalista, o responsável do Grupo Lusitana-restauração comprometeu-se a emitir nos próximos dias as declarações e a facultar os documentos relativos ao pedido de insolvência apresentado no Tribunal Judicial de Évora.

“Não sabemos o que vai acontecer, por isso o nosso objetivo a garantir aos trabalhadores algum meio de subsistência pois muitos deles já estão a passar dificuldades”, afirmou Miguel Ribeiro.

O sindicato vai aguardar que a insolvência seja declarada e quando isso acontecer vai requerer os créditos dos trabalhadores.

O Grupo Lusitana-restauração inclui a Cervejeira Lusitana do centro comercial Colombo e a do Vasco da Gama, ambas em Lisboa, além da pastelaria Arcada, em Évora.

Os 102 trabalhadores do grupo estiveram ao serviço até 18 de março, mas o último salário que receberam foi o de fevereiro.

Deixe uma resposta

Loading…

0

Banco Montepio vai fechar 31 balcões

Europol alerta para atividade dos Hammerskins e Escudo Identitário em Portugal