Trienal de Arquitetura abre hoje concurso de ideias para o Mercado de Santa Clara

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

A Trienal de Arquitetura de Lisboa anunciou hoje que vai receber, até 09 de outubro, propostas de arquitetos para revitalizar o Mercado de Santa Clara, no Campo de Santa Clara, zona onde a entidade tem sede, em Lisboa.

De acordo com a Trienal de Arquitetura de Lisboa, o concurso de ideias, de âmbito nacional, tem candidaturas abertas a partir de hoje, até 09 de outubro de 2017, e visa “adaptar o mais antigo mercado coberto de Lisboa, a novos usos”, no quadro do programa de revitalização dos mercados, promovido pela Câmara de Lisboa.

O concurso, com um prémio no valor de 5.000 euros, é dirigido a arquitetos em nome individual, organizados em coletivos informais ou sociedades de profissionais habilitados a exercer a atividade de estudos e projetos de arquitetura.

O concurso tem uma única fase, está sujeito a anonimato, e o objeto principal do estudo prévio simplificado é a adaptação da nave central e seus dois acessos a este e oeste.

A Trienal de Arquitetura será responsável pelo desenho e promoção do concurso, que tem também, como objetivos, dinamizar a freguesia onde está instalada a sede e “a participação ativa na sua regeneração”.

Da autoria do arquiteto Emiliano Augusto de Bettencourt, o Mercado de Santa Clara servia como mercado abastecedor e é um exemplo da utilização privilegiada do ferro em arquitetura, típica do fontismo do final do século XIX, patente na estrutura da nave e nos portões de ferro forjado, recorda a organizadora do concurso.

A história do mercado está associada à da Feira da Ladra que, em 1882, passou a preencher o espaço circundante, e desde 2011, acolhe o Centro das Artes Culinárias, resultado duma parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa e As Idades dos Sabores – Associação para o Estudo e Promoção das Artes Culinárias.

No espaço são apresentados ‘workshops’, venda de publicações, produtos tradicionais, entre outros eventos temáticos.

Inaugurado em outubro de 1877, no coração da freguesia de S. Vicente, o Mercado de Santa Clara (antigamente designado de Oriental), é o mais antigo mercado coberto de Lisboa.

O Campo de Santa Clara é uma zona de Lisboa marcada por diversos acontecimentos históricos, já que foi neste solo que D. Afonso Henriques acampou as tropas que planearam a conquista de Lisboa aos Mouros, no século XII.

Mais tarde, foi ali que se construiu a Igreja Mosteiro de S. Vicente, que, por ser terreno baldio e com pouca população, se tornou em “campo da forca”, onde se executavam penas capitais. Também ali, no século XIII, foi construído o Mosteiro de Santa Clara, que deu nome à zona.

Na segunda metade século XIX, foi neste local que se edificou o Mercado, que é envolvido, todas as terças-feiras e sábados, pela Feira da Ladra.

Em 1926, tornou-se mercado agrícola onde se podiam encontrar bancadas de venda de legumes e frutas, de peixe e carne.

Qual a sua opinião?