Tudo o que precisa de saber sobre as caravelas-portuguesas, avistadas na Costa da Caparica

Vai à praia? Cuidado: a Câmara de Almada emitiu um aviso sobre caravelas-portuguesas. Mas quão perigosos são estes animais? E o que fazer no caso de uma picada? E de onde vem o nome?

Com as temperaturas a rondarem os 30ºC, milhares de portugueses vão passar o fim de semana na praia.

Mas a água fria não é a única coisa com que se devem preocupar: a Câmara Municipal de Almada publicou um aviso para a presença de caravelas-portuguesas e águas-vivas durante os próximos dias, na Costa da Caparica.

Mas qual é o risco para a saúde se formos picados? Que efeitos podemos esperar? Há perigo de morte? Veja aqui 7 factos sobre o animal que, em várias línguas, do inglês ao alemão, do francês ao espanhol, evoca o tempo das Descobertas portuguesas.

1. O QUE É UMA CARAVELA-PORTUGUESA?

É um organismo animal do grupo dos cnidários (que inclui as alforrecas) – uma colónia constituída por centenas ou milhares de criaturas geneticamente semelhantes. Com o nome científico Physalia physalis, é azul-arroxeado, transparente, com tentáculos de dez metros, em média (alguns exemplares chegam aos 30 metros). Alimenta-se de plâncton e de peixes, que paralisa com veneno.

2. É PERIGOSA PARA OS HUMANOS?

Sim. Uma picada de uma caravela-portuguesa provoca dores fortes, sensação de queimadura, vermelhidão, inchaço e comichão. Em algumas pessoas pode causa reações alérgicas com gravidade: cãibras, náuseas, falta de ar, febre, arritmias e desmaios. O animal pode picar mesmo quando parece morto na areia.

3. COMO TRATAR UMA PICADA?

Ainda está muito disseminada a ideia de que a água salgada é o melhor bálsamo, mas aparentemente não é. A evidência científica mais recente diz que faz mais mal do que bem, tal como o sumo de limão, outra solução típica. O melhor é limpar o local da picada com vinagre, remover os tentáculos da pele com pinças e depois lavar com água morna.

4. URINAR EM CIMA DO SÍTIO DA PICADA É UMA BOA IDEIA?

Não, de todo. Os últimos estudos indicam que aplicar urina é contraproducente – só provoca mais dor e pode até levar a que os tentáculos libertem ainda mais toxinas. Esta recomendação também serve para picadas do peixe-aranha: a urina enquanto bálsamo é um mito.

5. PODE MORRER-SE DE UMA PICADA?

Não é comum, mas já aconteceu. Em 1987, um homem morreu no estado americano da Flórida; em 2010, morreu uma mulher na Sardenha, Itália. Mas todos os anos são picadas cerca de 10 mil pessoas na Austrália, pelo que a hipótese de se morrer devido a um encontro imediato com uma caravela-portuguesa é mínima.

6. TEM PREDADORES?

Sim, alguns. Um deles é o peixe-lua, um dos ex libris do Oceanário de Lisboa. Outro é a tartaruga-marinha-comum, cuja pele demasiado grossa a torna imune às picadas. Finalmente, uma espécie de lesma-do-mar e outra de caracol-do-mar especializaram-se em alimentar-se da caravela-portuguesa.

7. QUAL A ORIGEM DO NOME?

O animal tem uma bolsa (que usa para flutuar) que, quando completamente cheia, faz lembrar as velas dos antigos navios portugueses. Daí o nome. Há outras teorias, não tão comummente aceites, que apontam para a semelhança da bolsa com os capacetes dos soldados portugueses do século XVI, ou para a suposta circunstância de o organismo ter sido muito comum à volta da ilha da Madeira.

Publicado originalmente em: Visão

Outros conteúdos na web

Comente, qual a sua opinião?
A carregar...

Recomendados

Recomendados