Turismo Centro quer voos comerciais em Monte Real e investimento a curto prazo no Porto

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

A Turismo do Centro defendeu hoje a expansão do Aeroporto do Porto para responder ao “esgotamento do Aeroporto de Lisboa” e avisou que o problema só ficará resolvido com a utilização da base aérea de Monte Real para voos comerciais.

“A possibilidade de abrir a base aérea de Monte Real a voos comerciais, há muito defendida pelo Turismo Centro de Portugal e por destacados dirigentes políticos e empresariais do país, é uma solução óbvia e que deverá ser considerada, uma vez que reduzirá a pressão sobre o Humberto Delgado.

Basta lembrar que há milhares de passageiros com destino a Fátima que desembarcam em Lisboa e que poderiam optar por Monte Real, a exemplo do que fez o papa Francisco em maio”, refere a Comissão Executiva da Turismo Centro de Portugal, em nota divulgada hoje.

A Turismo do Centro manifesta “grande preocupação [com] as notícias recentes sobre os constrangimentos do Aeroporto Humberto Delgado (Lisboa), que, “segundo o jornal Expresso, já não consegue dar resposta ao aumento da procura, sendo obrigado a rejeitar solicitações de companhias aéreas, uma vez que os principais horários estão esgotados”.

A Entidade Regional presidida por Pedro Machado lamenta a perda de 200 mil visitantes provocada por esta situação, dizendo que “é uma má notícia” para Portugal.

“Os 200 mil passageiros que todos os meses a Portela está a perder são potenciais 200 mil turistas que não visitam o território nacional e que não se hospedam nas nossas unidades hoteleiras”, diz.

A Entidade Regional avisa que a solução defendida pelo Governo (“Portela + 1”, no Montijo) nunca estará operacional antes de 2020, antecipando “três anos de constrangimentos e milhões de passageiros perdidos”.

Neste cenário, defende que é preciso aproveitar melhor a capacidade do aeroporto Sá Carneiro, no Porto, enquanto a Base Aérea de Monte Real beneficia de investimentos para receber voos comerciais.

“O Sá Carneiro tem ainda grande potencial de crescimento. A sua expansão, no entender do Turismo Centro de Portugal, será a solução mais desejável a curto prazo para atenuar o estrangulamento do Humberto Delgado.

Depois, a médio e longo prazo, a solução de dois aeroportos principais, um em Lisboa e outro no Porto, é perfeitamente conciliável com a abertura de Monte Real, ou Montijo, ou ambas, à aviação comercial”, resume a Comissão Executiva da Turismo Centro.

Qual a sua opinião?