Uber escolhe Lisboa para instalar Centro de Excelência para a Europa

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

A Uber escolheu a capital portuguesa para instalar o seu Centro de Excelência para a Europa, anunciou hoje a empresa, afirmando que o investimento vai criar cerca de 250 empregos até ao próximo ano.

O Centro de Excelência vai ser “a principal fonte de conhecimento de utilizadores e motoristas em toda a região europeia”, o que vai permitir que a plataforma de transporte de passageiros continue a “melhorar os seus serviços, políticas e processos internos”, testando e lançando inovações, refere o comunicado da empresa.

Em Lisboa, vai ser prestado “apoio multilingue às operações da Uber na Europa, em países como Espanha, França e Portugal”.

O novo espaço vai servir utilizadores, motoristas e restaurantes da aplicação de entrega de comida ‘UberEATS’.

Esta aplicação da empresa vai chegar a Lisboa ainda este ano e está disponível em mais de 170 cidades em todo o mundo.

“Portugal é um mercado em rápido crescimento para a Uber e Lisboa é cada vez mais um centro para a empresa no sul da Europa. Isto, juntamente com o acesso a um elevado número de profissionais qualificados, levou a que Lisboa fosse a cidade escolhida para acolher o novo centro de excelência da Uber para a Europa”, explicou, citado na nota, o diretor-geral da Uber na Península Ibérica, Rui Bento.

A Uber é uma plataforma ‘online’ que permite pedir carros descaraterizados de transporte de passageiros, com uma aplicação para ‘smartphones’ que liga quem se quer deslocar a operadores de transporte. Em Portugal, está disponível nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto e no Algarve.

A sua atividade – bem como a da Cabify, que se instalou no país mais recentemente – tem sido muito contestada pelos taxistas, uma vez que os operadores ligados a estas plataformas não têm de cumprir os mesmos requisitos formais do que os táxis para trabalhar.

Qual a sua opinião?