Vai ao hospital com dores nos testículos e abusa da médica

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Um homem de 30 anos, que deu entrada num hospital de Alicante (Espanha) queixando-se de dores nos testículos, foi condenado ao pagamento de uma multa de 1400 euros por um delito de abuso sexual cometido contra a médica que o atendeu.

O incidente ocorreu na terça-feira à noite, no serviço de Urgências do Hospital Geral Universitário de Alicante.

Queixando-se de dores nos testículos, o homem, cidadão colombiano residente naquela cidade espanhola, deu entrada na unidade hospitalar, tendo sido examinado por uma médica jovem.

Acontece que, durante a palpação do local, o paciente teve uma ereção e, longe de corar, pediu à médica que continuasse.

A profissional negou-se e disse ao homem que se podia vestir.

Momentos depois, a médica foi até à sala de espera e acabou por ser interpelada pelo paciente, que a agarrou, beijou e lhe tocou no corpo, à força, descreve o jornal local “Diario Información”.

A vítima ofereceu resistência e o agressor acabou por fugir do hospital. Durante a fuga, deixou uma mochila para trás, tendo regressado às Urgências para a recolher.

Foi nessa altura que o homem foi detido pelos seguranças da unidade, que se encarregaram dele até à chegada da Polícia Nacional.

O agressor confesso foi julgado em processo sumário, tendo a defesa e o Ministério Público acordado o pagamento de uma multa de 1400 euros, através de uma quota diária de quatro euros.

Em caso de falha no pagamento, o indivíduo, que já tinha sido detido anteriormente por outros delitos contra a liberdade sexual, terá de cumprir um dia de detenção por cada duas quotas que não tenham sido pagas.

Além da coima, o juiz responsável pelo processo impôs ao agressor uma ordem de afastamento da vítima, com a duração de um ano.

Este artigo foi publicado originalmente no Jornal de Notícias

Recomendado pelo Informa+

Qual a sua opinião?