Vila Nova de Gaia terá centro animal com política do não abate

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

O concelho de Vila Nova de Gaia terá no próximo ano um centro animal com as vertentes de abrigo, adoção e hospital veterinário, indicou, terça-feira, o presidente da Câmara, frisando o foco na política do não abate.

O centro para cães e gatos vai chamar-se “Pata” e custará à autarquia 600 mil euros, nascendo na Estrada Nacional 222, freguesia de Avintes, muito próximo do Parque Biológico de Gaia.

Em declarações à agência Lusa, o autarca Eduardo Vítor Rodrigues frisou a “ligação muito forte do Município às questões ambientais” e apontou como grande objetivo deste projeto “materializar a política do não abate”.

“O Pata corresponde a um compromisso de campanha mas também a um trabalho intenso feito nos últimos quatro anos na preparação do processo”, descreveu o autarca.

O futuro centro animal de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, terá as vertentes de abrigo, espaço de adoção e atendimento médico-veterinário.

A adjudicação da obra será discutida segunda-feira em reunião de Câmara e a obra deverá arrancar ainda este ano tendo como prazo de execução nove meses.

A expectativa da autarquia é de que o Pata esteja a funcionar no outono de 2018.

Este artigo foi publicado originalmente no Jornal de Notícias

Qual a sua opinião?