Viúva toca em rosto do marido transplantado noutro homem

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Em 2006, o norte-americano Andy Sandness tentou suicidar-se, no Minnesota. Disparou contra o próprio rosto e sobreviveu, mas ficou desfigurado.

Ficou com a boca reduzida a um quarto do tamanho e colocou uma prótese no nariz, que caía frequentemente.

Isolou-se do mundo com vergonha dos ferimentos e do seu novo aspeto. Em 2012, a Clínica Mayo começou a explorar um programa de transplantes de rostos e, passados alguns anos, Andy foi colocado na lista de espera para reconstruir a cara.

Uma década depois de ter ficado sem rosto, o suicídio de Calen Ross, também no Minnesota, deu-lhe a possibilidade de ter uma nova face quando a mulher deste, Lilly, concordou em doar todos os órgãos e outras partes do marido.

Foi aí que os médicos descobriram a compatibilidade de rostos entre Andy e Calen.

E, em 2016, durante uma cirurgia de 56 horas, Andy ganhou um novo rosto e uma nova vida. “Agora abri as asas e estou a fazer tudo aquilo que perdi.

Viúva toca em rosto do marido transplantado noutro homem

Vou a restaurantes, como fora, danço”, afirmou o homem ao jornal Metro, mostrando-se feliz com o resultado do transplante.

16 meses depois da cirurgia, Lilly, que, quando o marido morreu estava grávida de oito meses, voltou a tocar no rosto do marido, colocado no corpo de Andy, e o filho pôde ver pela primeira vez como era o pai.

“Encontrar-me com o Andy fez com que eu colocasse um ponto final da história. Tudo aconteceu muito rapidamente”, disse Lilly em entrevista ao mesmo jornal.

Este artigo foi publicado originalmente no Correio da Manhã

Qual a sua opinião?