Web Summit: Hotéis de Lisboa perspetivam 88% de ocupação e preço médio de 145 euros

Detectamos que usa um AdBlock

Utilizamos anúncios para ajudar a manter o nosso site, considere desativar o AdBlock (bloqueador de anúncios) no nosso site para poder ver os conteúdos.

Os nossos anúncios não são intrusivos!

Os hotéis de Lisboa perspetivam uma taxa de ocupação de 88% e um preço médio de 145 euros/noite durante a Web Summit, conferência de empreendedorismo e tecnologia que, pelo segundo ano consecutivo, decorre na capital portuguesa na próxima semana.

Na sequência de um inquérito da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), no qual participaram 49% dos seus associados, os hoteleiros preveem um “impacto bastante positivo” e mostram mais otimismo em relação à ocupação do que ao preço, comparando com o ano passado.

Recordando o inquérito realizado antes da edição de 2016, a presidente executiva da AHP, Cristina Siza Vieira, notou que os associados em Lisboa “estão mais otimistas em relação à taxa de ocupação do que em relação ao preço”.

O preço médio previsto pelos hoteleiros em Lisboa no ano passado era de 163 euros e foi de 130 euros e “este ano preveem que nos dias do evento [06 a 09 de novembro] o preço médio seja de 145 euros”, comentou a responsável, citada em comunicado.

Em 2016, o inquérito apontava para uma taxa de ocupação em Lisboa de 85%, que acabou por efetivar-se nos 79%.

Já na área metropolitana de Lisboa perspetiva-se para este ano uma taxa de ocupação de 83% e um preço médio de 133 euros.

Cristina Siza Vieira notou ainda que Portugal saiu, este ano, do ‘TOP 4’ dos mercados emissores previstos para ocuparem os hotéis de Lisboa. Segundo o inquérito, o maior número de hóspedes deve viajar desde França e do Reino Unido (16% em ambos), Alemanha (14%) e Espanha (11%).

Na previsão para este ano, Portugal ocupa o quinto posto, com 9%.

À questão sobre o impacto que a Web Summit 2017 terá face a 2016, 54% dos hoteleiros da cidade de Lisboa indicaram que será superior no preço médio por quarto ocupado (ARR) e 33% dizem o mesmo em relação à taxa de ocupação.

A percentagem das unidades que admite um impacto superior no ARR decresce ligeiramente para 49% na área metropolitana de Lisboa, enquanto 28% espera uma melhor taxa de ocupação.

Na cidade de Lisboa 52% dos hoteleiros afirmam já ter reservas por parte de participantes na Web Summit.

Os associados da AHP representam cerca de 65% do número de quartos da hotelaria nacional.

Em 17 de novembro de 2016, o presidente da AHP, Raúl Martins, considerava a Web Summit como uma boa aposta, que ajudaria a reduzir as baixas taxas de ocupação normais em novembro, e afirmando que, por isso, Portugal precisa de eventos como este.

Fundada em 2010 por Paddy Cosgrave e os cofundadores Daire Hickey e David Kelly, a Web Summit é um dos maiores eventos de tecnologia, inovação e empreendedorismo do mundo e evoluiu em menos de seis anos de uma equipa de apenas três pessoas para uma empresa com mais de 150 colaboradores.

A cimeira tecnológica, que nasceu em 2010 na Irlanda, mudou-se para Lisboa por três anos, com possibilidade de mais dois.

Para este ano esperam-se cerca de 65 mil pessoas, depois de no ano passado o evento ter registado 53 mil visitantes de 166 países.

Qual a sua opinião?